Pegue seu café

Acomode-se onde estiver e fique bem informado.

Mercado imobiliário

2018: O ano ideal para os investimentos

Quem investiu em 2012 saiu machucado do mercado, mas o momento era diferente
2018: O ano ideal para os investimentos

2017 tem sido marcante para o mercado de fundos imobiliários. Com máxima histórica do IFIX, recorde de cotistas, novas emissões e movimento ascendente do mercado imobiliário como um todo, o cenário se assemelha ao que foi visto na euforia de 2012. O problema? Quem investiu nesse mercado naquele período saiu bastante prejudicado financeiramente pelas movimentações dos anos seguintes.

Portanto, a questão que vem agora é: 2018 é diferente de 2012? O especialista Rodrigo da Costa Medeiros, do Desmistificando FII acredita que o momento atual é quase o oposto de 2012, ano que ele considera “o final de um ciclo bom”. Cinco anos atrás, havia baixa taxa de vacância, quantidade alta de imóveis em construção ou recém-construídos e um período econômico de prosperidade, antecedente a uma quebra. “Agora estamos no final do momento de crise. O Brasil começa a deixar a crise para trás, a taxa de inflação está bastante controlada, o que permite que de taxa de juros”, explica.

Embora a taxa de vacância seja muito alta, a visão do especialista é que os preços chegaram praticamente ao limite: “não há muito mais para onde cair”. Ao mesmo tempo, existe uma capacidade econômica grande que não está sendo explorada no momento. O momento é, portanto, de oportunidade. Arthur ainda resume: quem entra agora, entra na fase de plantio; em 2012, era a fase da colheita.

Vale lembrar que os mercados diferem: a situação parece quase ideal em São Paulo, mas há cidades, como o Rio de Janeiro, com um longo caminho a percorrer antes de sair da crise.