Dicas para corretores

Tendências do mercado imobiliário para 2018

2017 foi marcado pela recuperação. De acordo com especialistas, em 2018 não será diferente
Tendências do mercado imobiliário para 2018

Esse reaquecimento incentiva as empresas do ramo a investirem em soluções modernas e eficientes para enfrentar a concorrência. Mais quais são as tendências do mercado imobiliário para o próximo ano? Confira aqui as ferramentas que estão sendo mais utilizadas pelas instituições da categoria. Desse modo, a sua empresa pode evoluir e competir com os concorrentes.

1.     Automação residencial

O conceito de sustentabilidade ligado ao conforto e à praticidade tem norteado os lançamentos imobiliários para o próximo ano. Devido a isso, inúmeras soluções baseadas na tecnologia estão sendo implantadas nas residências. Essas ferramentas são fáceis de usa, têm design inteligente, são seguras e respeitam o meio ambiente. Além disso, proporcionam o uso eficiente e sustentável de água e energia.

Toda essa evolução tem um nome: casa inteligente. Esse nome é bem apropriado porque boa parte das tarefas internas da residência é automatizada. Por exemplo, dispositivos colocados na porta de entrada ajudam os pais a saberem a que horas os filhos chegaram em casa sem que precisem levantar-se da cama. Já as câmeras sensíveis ao movimento são habilitadas para enviar um e-mail, mensagens para o celular ou transmitir em tempo real para o dono do imóvel qualquer movimentação estranha dentro da moradia.

Para reduzir o custo da conta de energia, a casa inteligente tem um sistema de controle integrado da iluminação. Dessa forma, o usuário pode programar a intensidade das lâmpadas de acordo com a claridade externa e também o acendimento automático de luzes em determinados cômodos.

Outra vantagem é a climatização dos ambientes. Assim, a temperatura interna fica equilibrada. De fato, as empresas que disponibilizam esse tipo de imóvel terão boas oportunidades de vendas em 2018.

2.     Realidade virtual

Grandes construtoras e incorporadoras estão utilizando a realidade virtual para encantar os clientes com seus produtos imobiliários. Essa prática apresenta muitos benefícios, tanto para as instituições como para os compradores.

Por meio de um programa que recria virtualmente uma residência, o interessado se insere nos cômodos com a ajuda de óculos de realidade virtual. Caso queira mudar a decoração ou o projeto da moradia, poderá fazer isso. Dessa forma, a empresa não precisa marcar inúmeras visitas de interessados nos imóveis. Além disso, os consultores conseguem fazer um atendimento rápido e eficiente.

Uma inovação que está surgindo nessa área é a criação de aplicativos para apresentar imóveis de forma virtual no smartphone. Depois que o consumidor faz o download do aplicativo, a empresa o presenteia com óculos VR de papelão. Feito isto, o cliente pode visitar quantos imóveis quiser sem precisar sair do lugar.

3.     Vendas consultivas

O conceito de vendas consultivas tem agradado muito ao público do setor imobiliário. E uma ferramenta que está turbinando essa prática é a placa virtual.

Funciona assim: a placa virtual é instalada em um terreno ou imóvel que esteja à venda ou para alugar. Nele é colocado um QR code, um código de barras bidimensional facilmente escaneado por dispositivos eletrônicos equipados com câmeras. Então, o interessado faz o download de um aplicativo leitor do código QR e aproxima o seu smartphone da placa virtual. Em seguida, ele recebe todas as informações e fotos do imóvel na tela do seu aparelho e, claro, o contato do profissional ou imobiliária responsável pela moradia.

4.     Plataformas imobiliárias

A utilização de plataformas virtuais voltadas para o setor imobiliário continua sendo uma forte tendência para 2018. No entanto, a grande novidade fica por conta da plataforma para conteúdo em 360º.

Por meio dessa tecnologia, as imobiliárias capturam imagens dos seus empreendimentos e as enviam para a aplicação virtual. Com a ajuda de um aplicativo, os clientes podem ter acesso a essas imagens. Além disso, é possível inserir vídeos, explicativos de cada detalhe dos ambientes internos da moradia. Dessa forma, as empresas conseguem ganhar mais visibilidade perante o seu público.

5.     Tecnologia para melhorar a experiência do cliente

Apesar de já estarem no mercado da tecnologia há algum tempo, os beacons (sensores de aproximação) são uma ferramenta que será muito explorada no mercado imobiliário no próximo ano.

Esse sistema utiliza o Bluetooth dos celulares e proporciona uma experiência diferente e interessada para os clientes. Por exemplo, digamos que alguém interessado em comprar um imóvel passe sem perceber por vários anúncios expostos na vitrine de uma empresa imobiliária. Nesse caso, o beacon emitirá um alerta para o smartphone do cliente avisando-o de que há ofertas interessantes de imóveis em uma loja próxima.

6.     Drones

Esses veículos aéreos não tripulados estão caindo nas graças do setor imobiliário, visto que são fáceis de controlar e possuem um sistema de câmeras modernas conectadas pela internet com a rede virtual da empresa. Mas como os drones estão sendo usados? Em diversas etapas — desde o processo de construção até a pós-venda de um empreendimento.

Esse sistema dá aos clientes a possibilidade de acompanharem, por meio dos vídeos gravados pelos drones, a evolução da edificação do prédio onde compraram um apartamento. Esses vídeos são postados na linha do tempo da empresa nas redes sociais. 

7.    Assinatura digital

A assinatura digital veio para facilitar o demorado e burocrático processo de fechamento do contrato de venda de um imóvel. Essa tecnologia utiliza a criptografia que é vinculada a um certificado digital, produzindo assim um documento eletrônico para ser assinado. Esse documento tem garantia de integridade e autenticidade. Essa prática já é vista como o futuro das transações imobiliárias.

De fato, são muitas as opções que a tecnologia está oferecendo para o setor imobiliário. No entanto, essas ferramentas se potencializam quando são embasadas por um software CRM (gestão de relacionamento com o cliente) ou uma plataforma 360º. Com a ajuda dessas aplicações, a empresa pode customizar os seus serviços (prospecção, venda e pós-venda) de acordo com as necessidades de seu público-alvo.

Gostou da matéria? Compartilhe com seus contatos

Leia mais