Dicas para corretores

O avanço da tecnologia e o novo papel do corretor de imóveis

Adaptar-se já não é uma opção, o que é desafiador, mas ao mesmo tempo é muito positivo
O avanço da tecnologia e o novo papel do corretor de imóveis

Com a chegada de diversas ferramentas que facilitam a compra de um imóvel para as pessoas, muitos podem acreditar que o corretor de imóveis estaria perdendo espaço. Mas de acordo com especialistas, cerca de 75% das transações imobiliárias são intermediadas por um corretor de imóveis.

Porém, para ser um profissional qualificado e especializado na venda de imóveis, não é o suficiente. É necessário adaptar-se às novas tecnologias, mergulhando nelas, oferecendo todo o seu conhecimento para auxiliar o comprador no processo de aquisição de um imóvel de forma completa.

Outra questão é que o trabalho do corretor exige muito, diante de difíceis condições. Não têm um salário fixo, carga horária estipulada, precisam sempre disponíveis para apresentar casas e apartamentos para possíveis compradores.

Com esse cenário, a tecnologia pode servir como aliada não apenas para facilitar as vendas, mas também para aumentar os ganhos dos corretores.

O avanço da tecnologia trouxe novas ferramentas que dão ao profissional a chance de atingir um público maior e que facilitam o contato entre as partes com custos bem mais baixos – ou até proporcionando mais ganhos.

A praticidade de trabalho pode estar na palma da mão. O celular atua como um aliado não só na comunicação, mas também com aplicativos específicos para o corretor imobiliário. Além de aplicativos que geram lides de vendas, existem outros que dão ainda mais funções ao corretor, facilitando e participando ainda mais do processo de venda, como pelo intermédio do financiamento imobiliário.

O avanço da tecnologia aliado ao conhecimento técnico do corretor de imóveis – como a documentação exigida no financiamento, taxas de juros, entre outras questões – torna o profissional ainda mais completo facilitando o processo de aquisição de imóvel para o comprador, excluindo, da responsabilidade deste, diversas preocupações.

A tecnologia não é uma concorrente e sim sua aliada

É muito característico do mercado vislumbrar em recursos e negócios inovadores uma ameaça às suas profissões. É verdade que há empresas e modelos de negócios que estão tentando encurtar as transações do setor imobiliário. E isso naturalmente tem gerado movimento contrário, que tenta barrar a entrada de tecnologia no mercado imobiliário.

No entanto, é importante entender que a tendência é a evolução da profissão, e não sua extinção. A tecnologia é uma demanda geracional: o próprio consumidor demanda o uso dela. Mas a maioria dos clientes não têm tempo e nem segurança, autonomia, para arriscar uma transação direta de imóveis.

Cabe à gestão imobiliária entender o avanço da tecnologia e os novos modelos de negócios e como se inserir, gerando valor real para o consumidor. Adaptar-se já não é uma opção, o que é desafiador, mas ao mesmo tempo é muito positivo: o caminho natural é a evolução. 

Quer saber mais sobre o assunto? Confira nossa matéria sobre vendas de imóveis pelo WhatsApp

 

 

Gostou da matéria? Compartilhe com seus contatos

Leia mais